A ADIT Brasil deu início ao evento ADIT Juris 2017, o mais importante seminário imobiliário e turístico do país, no Novotel, no Rio de Janeiro/RJ, que ocorre nos dias 20 e 21 de março, com quinze painéis de debates e 55 painelistas. Nessa edição do evento há 255 participantes, de 101 empresas diferentes, das cinco regiões do Brasil e de quinze Estados e trinta cidades diferentes.

 

O gerente executivo da ADIT Brasil, Eduardo de Carvalho, disse que a entidade tem o papel de educar e orientar o mercado e comemorou o crescimento da ADIT Brasil, principalmente com a entrada dos players do setor de multipropriedades e timeshare. ‘’A parte de multipropriedades vem crescendo muito e temos muito associados desse mercado’’, contou. ‘’Hoje teremos um painel sobre multipropriedades para quem ainda não conhece esse setor’’.

 

Livro sobre tempo compartilhado

Carvalho contou que a ADIT Brasil irá lançar o livro ‘’Férias Compartilhadas: A experiência do timeshare e multipropriedades no Brasil’’, sobre o mercado de tempo compartilhado, durante o ADIT Share, nos dias 05 a 07 de junho, em Caldas Novas e Rio Quente/GO. ‘’Com participação dos principais players do mercado’’, disse.

 

Novo gerente

Marcelo Martins

Durante a abertura do ADIT Juris também foi anunciado que Eduardo de Carvalho está saindo da ADIT Brasil e em seu lugar assumirá o executivo Marcelo Martins.  ‘’Estou muito motivado e estarei dando continuidade aos projetos da ADIT Brasil’’, disse Martins.

 

Apresentação de Cases

André Abelha, Rita Martins e Carlos Ferrari

 

O primeiro painel do ADIT Juris foi ‘’Apresentação de cases de formatação jurídica de empreendimentos imobiliários’’, com a participação da advogada Rita Martins, do escritório Rita Martins & Advogados/BA, o advogado André Abelha, do Castler/Abelha Advogados/RJ, e o advogado Carlos Ferrari, do NFA Advogados.

 

A advogada Rita Martins apresentou o case: ”Complexo Multiuso – Empreendimentos Distintos que se Interligam – Compartilhamento de Parâmetros Urbanísticos”, sobre a estruturaração jurídica e aprovação junto ao município de Luis Eduardo Guimarães/BA, de um complexo composto por um shopping center, uma torre corporativa e um hotel, em todos estariam interligados no mesmo empreendimento, mas os imóveis deveriam ser distintos.

 

O advogado André Abelha apresentou o case ”Modelo de Parque Comercial com Aproveitamento do Antigo Loteamento e Servidão para Compartilhamentos de Despesas”, sobre um cliente que queria estruturar um loteamento para um parque comercial com serviços, comércios variados e lazer, mas que desejava o compartilhamento de despesas, ou seja, que todos os proprietários tivessem que pagar taxa de reembolso para o empreendedor, mesmo sem pertencer a uma associação de proprietários, o que não é permitido, segundo o Supremo Tribunal Federal (STF). A solução encontrada pelo escritório de advocacia foi usar a Lei de Servidão, do Código Civil, o que fez com que fosse possível essa cobrança.

 

O advogado Carlos Ferrari, do NFA Advogados, apresentou o case ”Questões Jurídicas para a Ulização de Fundo de Investimento para Incorporação Imobiliária”, sobre maneiras que o setor imobiliário possa usar o Fundo, com segurança e garantias, para seus projetos.