O primeiro Prêmio Legado ADIT – uma vida que valeu à pena ser vivida foi concedido durante o ADIT Hotel para o executivo francês Roland de Bonadona, por sua contribuição ao setor no país, ao liderar a expansão da AccorHotels no Brasil. Organizado pela ADIT Brasil, o ADIT Hotel é um seminário para desenvolvimento hoteleiro e acontece no dia 05-11, no Hotel Pullman Vila Olímpia, em São Paulo.

Além da premiação, Rolando de Bonadona participou de um bate-papo, onde contou suas experiências no segmento hoteleiro, com Orlando de Souza, da FOHB, Abel Castro, da AccorHotels e Antônio Setin, da Setin Incorporadora.

‘’Muito obrigado a ADIT Brasil, é  muito bom ser lembrado, mesmo após três anos que deixei a AccorHotels’’, disse um emocionado Bonadona.

História de Bonadona

Após graduar-se em Administração de Empresas na Universidade de Paris IX, Bonadona iniciou a carreira estagiando como cozinheiro e garçom de hotel, no início dos anos 70. Em 1990, quando já ocupava o cargo de gerente de desenvolvimento da rede Sofitel na França, foi transferido para o Brasil para trabalhar na expansão local da marca. Logo foi nomeado diretor da AccorHotels no país e liderou um projeto que ajudou a consolidar o Grupo Accor na liderança do negócio hoteleiro nacional e o Brasil como terceiro maior mercado mundial da companhia.

Após assumir também a responsabilidade pelas Américas do Sul e Central, por México e Caribe e, por fim, por Canadá e Estados Unidos, o profissional encerrou em 2015 uma carreira de 42 anos na Accor. Fundou então a Bonadona Hotel Consulting, passando a oferecer assessoria estratégica para grupos hoteleiros e imobiliários. Planejamento, diagnóstico organizacional, acompanhamento de negociações e mediação de litígios estão entre os serviços prestados.

Antônio Setin revelou que conheceu Bonadona há 21 anos. ‘’Estava convicto que todo francês era chato’’, brincou. ‘’O Bonadona mudou minha visão’’. Ele contou que estava desenvolvendo um hotel e procurou uma operadora hotelaria, e assim,  conheceu Bonadona. ‘’Ele me convidou para passar uma semana em Paris. Depois assinei com a Accor. Depois a relação se transformou em amizade’’.

Orlando de Souza disse que conheceu Bonadona de uma forma irônica. ‘’Eu conheci o Bonadona quando ele me demitiu’’, disse. ‘’Eu era gerente geral do Novohotel Morumbi, e fui demitido para ser contratado pela Accor. Após isso fui para Portugal. O segundo contato foi quando ele me recontratou para assumir a direção do Novohotel no Brasil’’.

Bate-papo com Bonadona: Orlando de Souza, Antônio Setin, Roland de Bonadona e Abel Castro

 42 anos na mesma empresa

‘’Eu fiquei 42 anos na mesma empresa porque era a Accor. Tive oportunidades de fazer coisas diferentes, trabalhar em vários países. Sempre cresci dentro da empresa.’’, afirmou Bonadona, que revelou que gostaria de ter mudado de emprego. ‘’Acredito que podemos ter um background mais rico trabalhando em empresas diferentes, mas não posso reclamar da Accor’’.

Futuro da Hotelaria

Para Bonadona, as transformações digitais e tecnológicas não são apenas da hotelaria, mas do mundo. ‘’O que querem os millenials? Querem viajar e ter experiências. Ele explica que um dos desafios da hotelaria será receber clientes que querem mais experiências e imersão.

Sobre outras avanços tecnológicos, como inteligência artificial e robôs, Bonadona não se preocupa. Para ele, o mais importante ainda é a qualidade do atendimento durante a estadia dos visitantes no hotel.

  • A Revista Turismo Compartilhado cobre o ADIT Hotel a convite da ADIT Brasil