Evento da Aviva Vacation Club encerra com o empresário contando sua trajetória de sucesso


O encerramento do VOX 2019 foi especial. Com uma palestra do palhaço e empresário, Marcos Casuo, do Universo Casuo, e primeiro brasileiro a protagonizar uma apresentação do Cirque Du Soleil, além de show de acrobacias com artistas da Universo Casuo. O VOX é a convenção de vendas da unidade de vacation ownership da Aviva Algar FLC e aconteceu nos dias 18 e 19 março, em Rio Quente Goiás.

Além da palestra de encerramento, Marcos Casuo participou durante todo o evento como palhaço, com esquetes de humor. Durante os intervalos de uma atração para outra, entrava o palhaço para divertir e arrancar gargalhadas do público do VOX.

A apresentação ‘’mais séria’’ de Marcos Casuo foi sobre sua trajetória, como saiu do interior de São Paulo para o circo, como foi ser acrobata no Cirque Du Soleal, virou o palhaço, para depois abrir sua própria empresa.

‘’Vim aqui mostrar como que sonhos viram realidades, já conheci mais de 40 países e teve atores e celebridades vindo ao meu camarim para me conhecer’’, disse o palestrante.

Indo para o circo

Palestrante Marcos Casuo

Marcos Casuo é de São Carlos, interior de São Paulo, e, antes de seguir a carreira artística, trabalhava de frentista e auxiliar de cozinha. Ele contou que o trabalho no posto de combustível era enfadonho, pois era só abastecer, receber o pagamento e falar obrigado. E ele queria ser um artista.

Logo, o frentista Causo começou a fazer algumas graças para os clientes do posto e ele ganhou certa fama, e suas gorjetas também melhoraram. ‘’Uma vez parou no posto um fusca com placa do Rio de Janeiro e ali estava o meu futuro’’, disse o palestrante. ‘’Sempre tem alguém olhando para você’’.

Naquele fusca estavam quatro artistas do circo do ator Marcos Frota. Quando viram o frentista engraçado, os quatro o convidaram para fazer um teste para o circo. Ele foi ao circo no domingo assistir a uma apresentação. ‘’Fiquei encantado com os acrobatas, mágicos, malabaristas, trapezistas e palhaços. O espetáculo foi uma hora e meia, mas pareceu que foram apenas cinco minutos’’.

Marcos Casuo fez o teste e foi aprovado para o circo. ‘’A partir daquele momento, decidi que seria o melhor artista de circo, era um compromisso comigo mesmo’’.

Durante seus anos no circo, trabalhando como acrobata, Casuo teve que treinar muito para melhorar cada vez mais, fez 15 cirurgias no corpo tentando os vários saltos mortais. Apesar de ser mal pago, já morou em uma carreta e usou sua própria calça de travesseiro, o artista não desistia do sonho e continuava a treinar.

‘’Quando colocamos dinheiro na frente de nosso sonho, a magia vai embora. O dinheiro é consequência de nosso trabalho’’, disse o palestrante. ‘’Os meus sonhos eram muito mais intenso que qualquer obstáculo, independente do que passava tinham pessoas sorrindo com o meu trabalho’’.

Cirque Du Soleil

Acrobatas fazem parte da palestra de Marcos Casuo

Até que um dia, ele ganhou um presente, um VHS do Cirque Du Soleil. ‘’Não sabia francês e então pronunciava Circo du Seu Léo’’, brincou o palestrante. Porém, assim que colocou a fita no vídeo cassete para assistir, apareceu um corcunda gritando alegria, era o espetáculo Alegria do Cirque Du Soleil, e Casuo prometeu trabalhar naquela empresa um dia.

Apesar de seus colegas dizerem que não era possível, ele não desanimou e continuou a treinar, dobrou a meta, a dedicação, a disciplina, a conduta. ‘’Quem disse que é fácil realizar os sonhos e bater as metas’’.

Certo dia, Casuo recebe uma ligação dizendo que o Cirque Du Soleil tinha visto uma apresentação da equipe de acrobatas que ele fazia parte e convidou-os para um teste para a empresa canadense, mas antes ele tinha que enviar uma gravação de uma apresentação da equipe. ‘’Naquela época era quase impossível gravar um vídeo e enviar, mas conseguimos’’.

Depois disso, Marcos Casuo foi para o Rio de Janeiro para o teste. Eram mais de 400 artistas, todos em busca do mesmo sonho. Desses 400 candidatos, cerca de 30 foram selecionados e Casuo estava entre eles.

Uma semana depois, ele desembarcou em Montreal, no Canadá, para iniciar sua história no Cirque Du Soleil, para trabalhar com acrobata. ‘’No Cirque Du Soleil fiquei impressionado, pessoas do mundo inteiro, vários artistas’’.

Nos dois primeiros anos no novo emprego, ele trabalhou com a equipe de acrobatas russos. ‘’É prazeroso trabalhar com uma equipe de russo, com quase zero por cento de erros, por dois anos aquela foi minha família’’. Ele contou que a confiança um no outro da equipe era fundamental para o sucesso, pois havia performances em que um acrobata pegava um impulso para saltar até 12 metros e os outros tinham que pegá-lo ao cair.

Depois de um ano de treinamento, Casuo estreou no Cirque Du Soleil no México. ‘’Conheci muitos países e aprendi outras línguas’’.

O palhaço

Marcos Casuo em apresentação no VOX 2019

Mas o que Marcos Casuo desejava era ser palhaço. E foi pedir para o proprietário do Cirque Du Soleil uma oportunidade. ‘’Eu queria fazer todas as famílias felizes, queria dar muito mais que eles estavam me oferecendo, eu coloco paixão, faço de verdade, não era egocentrismo, realmente sentia isso’’.

Ele contou que o proprietário da empresa de entretenimento pediu para ele o impressionar. E com um gesto simples, em que crianças no Brasil brincam muito, em que os dedos parecem que foram arrancados da mão, ele foi contratado para ser palhaço do Cirque Du Soleil.

‘’Depois também comecei a receber pelas criações dos personagens e hoje ainda ganho com os royalties’’, revelou Casuo.

Depois de oito anos no Cirque Du Soleil, o palhaço pediu demissão para abrir uma empresa de entretenimento no Brasil, o Universo Casuo. ‘’No começo, o Universo Casuo era só eu, hoje temos uma equipe e vários espetáculos pelo Brasil’’.

Após um tempo, empresas começaram a procurá-lo para desenvolver um case corporativo, para apresentar palestras sobre sua história e apresentações circenses para empresas.

‘’Nunca permita que ninguém ofusque o seu sonho, acredite no seu potencial. O que aconteceu comigo pode acontecer com qualquer um. Dói quando alguém fala que não vai conseguir, eu me emociono, porque um garoto sonhou desde criança em ser palhaço e fazer as pessoas felizes e conseguiu’’, falou um emocionado Casuo.

‘’Viajamos por toda a América Latina. O que nos move? Desafio, amor por aquilo que fazemos, a vontade de fazer melhor. E o que fazermos melhor é a arte e alegria, Bem-vindo ao nosso mundo, o mundo do circo’’, finalizou Marcos Casuo.

Veja mais fotos do evento em nosso Instagram: https://www.instagram.com/turismo_compartilhado/

Please follow and like us: