As diferenças no modelo de gestão de empreendimentos timeshare e multipropriedade foram debatidas na sexta-feira, 07/06, durante o segundo dia do ADIT Share 2019. Comandado por Rodrigo Martins, diretor executivo do Grandes Lagos Thermas Resort, o painel abordou alguns dos desafios enfrentados por empreendedores junto aos seus clientes desde o lançamento do produto até o pós-vendas.

O ADIT Share 2019 é o principal seminário de turismo compartilhado do país, realizado pela ADIT Brasil, e acontece nos dias 06, 07 e 08 de junho, em Foz do Iguaçu/PR.

“Uma coisa é fundamental neste processo. Todos nós precisamos entender que não vendemos paredes de tijolos. O que nós vendemos são experiências. Garantir boas experiências aos clientes deve ser o norte de qualquer empreendimento”, destacou.

O diretor chamou atenção em sua palestra sobre a importância de se respeitar os diferentes ciclos que integram um projeto. “São fases distintas e que precisam ser muito bem definidas. Temos o ciclo de lançamento, o ciclo de comercialização (entre 24 e 30 meses) e o período de pós-vendas do primeiro ciclo. Neste último existe o cancelamento e isso tem de estar incluído na gestão do negócio, tanto na sua viabilidade quanto na gestão de custo”, pontuou.

Em seguida, Rodrigo comentou sobre a importância do ciclo pós-entrega. “É aqui que chega a hora de realizarmos quase que um trabalho de reeducação com o cliente. Ao longo dos 36/48 meses de comercialização foram dadas muitas expectativas ao cliente, principalmente quanto a questão de investimento e rentabilidade do produto, algo que muitos esperam e que não é tão simples assim. Transparência nesse momento é fundamental”, defendeu

Outro período comentado foi o soft open. “Aqui temos que explicar novamente informações básicas como a forma de se pagar o condomínio, tabela da semana, entre outras particularidades do nosso setor que é totalmente desconhecido da grande parte do público. O trabalho de relacionamento neste momento faz a diferença”.

Confira algumas diferenças básicas entre Time Share e Multipropriedade:

Timeshare

Uso Imediato; credibilidade por já existir o empreendimento; sujeito a indisponibilidade; custo benefício de fácil entendimento; venda baseada no uso e não em retorno; parcelas fixas; já possível intercâmbio.

Multipropriedade

Uso no longo prazo – 3 anos sem uso, empreendimento em obra; patrimônio; maior engajamento do cliente; custo benefício real; venda mais racional, baseado em investimento; percepção de retorno.

 A Revista Turismo Compartilhado cobre o ADIT Share 2019 a convite da ADIT Brasil.

 

Please follow and like us: